Imposto de importação de notebook

A Info publicou uma reportagem com o título Notebooks ilegais invadem o Brasil, citando dados coletados por um certo Instituto Brasil Legal.

Trechos da reportagem:

“Marcas como Acer, Asus e Toshiba vêm crescendo no Brasil impulsionadas por importações ilegais, prejudicando a concorrência. Essas três marcas responderam sozinhas por US$ 291 milhões de perdas com sonegação no último ano.
Em 2008, 532 mil notebooks da Acer foram os mais vendidos no país, sendo que apenas 107 mil foram declarados, diz a pesquisa. Isso significa que apenas 20% dos equipamentos da marca chegam legalmente ao país.
A Asus também preocupou a associação, com 87 mil notebooks e apenas 39% declarados, assim como a Toshiba, que vendeu 108 mil notebooks em 2008, sendo apenas 10% legais.”

Pergunta: como é que o Instituto conseguiu dados tão precisos sobre importação ilegais, já que, se elas são ilegais, não deixam registros?

Mas o tópico desse post é outro. Embora não se saiba o volume exato de importações ilegais de notebooks, é certo que elas ocorrem. E o principal motivo é que é muito caro e burocrático importar um notebook legalmente (viajantes pagam um pouco menos).

O tópico do post é: quanto se paga para importar um notebook em outros países? Fiz uma rápida pesquisa (sujeita, portanto, a erros) e cheguei a uma conclusão surpreendente: diversos países não cobram taxa de importação de notebooks e computadores (ver casos do Japão, Canadá e África do Sul); o comprador paga apenas VAT (imposto similar ao nosso IPI/ICMS), o que é justo, a fim de evitar que o produto importado tenha vantagem em relação ao local.

E os Estados Unidos? É pouco provável que um consumidor americano pense em importar um notebook, pois os preços nos Estados Unidos são os mais baixos do mundo. Mas como os revendedores americanos conseguem vender tão baixo, se a maioria dos notebooks vendidos são montados na Ásia? A resposta é: importadores e revendedores americanos não pagam imposto de importação.

Ou seja, o Brasil é o país onde mais se vendem os piores notebooks, onde mais se infringem as leis, e onde se pagam os preços mais altos.

Pesquisa personalizada

4 Responses to “Imposto de importação de notebook”

  1. Parabéns pela reportagem!!

  2. Parabéns pela matéria! é bem isto que acontece mesmo…..

  3. emerson luiz dal lago on May 19th, 2010 at 5:58 pm

    é amigo se puder acessar o site http://www.sedseg.com/product.asp?id=2405 e ver o preço dell vostro 1200, em euros, aí sim vc dirá que o Brasil apenas nos rouba em impostos, pensa importar e pagar 60% para não ser tido como contrabandista.

  4. Realmente, como que o Brasil arrecadando tantos impostos “os mais caros do mundo” ainda continua nesta pobreza? Para onde vai o dinheiro dos inumeros impostos que pagamos? Isto é revoltante!!!

Leave a Reply